O que você pensa antes de fotografar?

Pode até parecer uma pergunta estranha, mas é exatamente isso que proponho aqui. Reflita um pouco e identifique o que você pensa antes de fotografar. Ou, em outras palavras, por que você está fotografando?

No post anterior também sugeri uma reflexão, sobre a nossa atual realidade de fotos acumuladas e não vistas. E depois de pensar um pouco mais sobre o assunto, cheguei à conclusão de que vivemos esta realidade justamente por não pensarmos o suficiente.

o-que-voce-pensa-antes-de-fotografar Imagem: Pexels

Acho que as pessoas que fotografam tudo e saem correndo, sem ao menos admirar e aproveitar o momento com os próprios olhos, mudariam esse comportamento se pensassem mais. Se pensassem para escolher quais detalhes desejam guardar para recordação. Se pensassem que as viagens foram feitas para nos proporcionar boas experiências e não apenas um cartão de memória lotado.

Qual é a real intenção da sua fotografia?

No fundo é isso que quero destacar aqui. Você já parou para refletir sobre suas intenções ao fazer fotos? Se você não tem intenção alguma é preocupante. Fotografar apenas por prazer não é errado, mas é possível fazer registros muito melhores quando forem atingidas todas as intenções do fotógrafo.

Mas quais são estas intenções? São inúmeras. Você pode querer relembrar bons momentos no futuro, causar sentimentos nas pessoas que observarão suas fotos ou, até mesmo, atingir a meta de produzir fotografias de tirar o fôlego ou causar comoção. Enfim, pode ser qualquer intenção, mas ela precisa existir!

Por que as imagens premiadas e admiradas são especiais? Porque elas apresentam uma narrativa, nem que seja mínima. E narrativa na fotografia é, para mim, a capacidade que a imagem tem de se comunicar com o observador; de contar uma história. E histórias bem contadas só pode ser criadas a partir de intenções bem definidas. Deu pra entender?

Você pensa antes de fotografar?

Para finalizar, tentar resumir e convidá-los a mais uma reflexão deixo aqui as palavras da autora Maria Short, no livro Contexto e Narrativa em Fotografia:

“O ponto-chave aqui é que uma fotografia pode provocar uma ressonância maior do que a de um mero registro de eventos. Reflita sobre a foto a partir da perspectiva da intenção, mas observe-a de maneira a enxergar o que realmente está lá e como isso está apresentado, uma vez que é isso que o público vai ver e é a isso que ele vai reagir. Se você disser: ‘eu gostaria de transmitir uma impressão x em minha foto’, pode ser útil esclarecer em palavras o que é esse x e então examinar a foto e se perguntar se cada componente que está lá contribui para a transmissão de x.”

Enfim, para criar narrativas, ressonâncias, emoções e tudo o mais que você desejar, reflita! Trace suas intenções e vá em busca de elementos que condizem com o que você planejou. Afinal, nem sempre temos a sorte de fazer uma ótima fotografia sem querer, concorda?

Então perguntarei de novo, o que você pensa antes de fotografar?

Deixe uma resposta